TDL um problema que pode causar repercussões para a vida toda e infelizmente ainda pouco diagnosticado!

A substituição da nomenclatura DEL (distúrbio específico de linguagem) por TDL (Transtorno do desenvolvimento de linguagem) foi proposta após um grande estudo multinacional e multidisciplinar denominado CATALISE.

Em 2017 ocorreu a primeira campanha de conscientização do TDL (www.radld.org), com objetivo de melhorar a concordância entre os profissionais na identificação e classificação dos comprometimentos de linguagem em crianças. 

Destacam-se na campanha 3 pontos importantes:

1. O TDL é um problema de fala e/ou de compreensão.

2. O TDL é comum, mas pouco diagnosticado.

3. O tratamento pode ajudar a melhora a qualidade de vida das crianças afetadas e suas famílias.

A terminologia foi mudada pois os profissionais que atuam em áreas da educação, medicina e outras profissões da saúde (fonoaudiologia, psicologia, etc.) e, portanto, atendem, recebem ou trabalham com crianças com problemas de linguagem, abordavam de diferentes formas e utilizavam diferentes conceitos com estas crianças. O que suscitava em grande variabilidade na terminologia, como: distúrbio específico da linguagem (DEL), atraso na linguagem, distúrbio do desenvolvimento da linguagem, disfasia do desenvolvimento.  

Assim, a identificação de crianças com problemas e seu encaminhamento aos serviços de prevenção e intervenção ficava prejudicada.

Aqui estão algumas informações sobre as crianças com TDL que todos devemos saber:

1. Infelizmente podem ser: mal interpretadas, esquecidas ou mal diagnosticadas por terem mal comportamento, pouca compreensão ou falta de atenção.

2. A linguagem é o meio pelo qual ocorre a aprendizagem escolar e, portanto, essas crianças apresentam risco para dificuldades e transtornos de aprendizagem de leitura (incluindo dislexia), escrita e matemática.

3. Podem apresentar isolamento social e a maior chance de sofrerem bullying, pois têm dificuldade em expor suas ideias e conversar com os colegas ou participar de atividades escolares.

4. Afeta o desempenho escolar.

5. Podem apresentar outros problemas de comportamento associados ao quadro de linguagem.

6. Podem ter desvantagem econômica e de aquisição de emprego na idade adulta.

Como os profissionais, incluindo os professores, médicos e fonoaudiólogos podem ajudar?

1. É importante que o TDL seja diagnosticado adequadamente, por profissional especializado como o médico Foniatra.

2. Os terapeutas e os professores podem desenvolver estratégias para melhorar as habilidades e entender suas dificuldades e seus pontos fortes.

3. Os professores podem apoiar as crianças por meio da compreensão de suas dificuldades individuais e adaptar um programa específico de ensino.

4. O TDL pode ser uma dificuldade de longo prazo, portanto adultos com TDL podem precisar de apoio e ajustes no local de trabalho e na vida cotidiana.

5. Os indivíduos com TDL com apoio adequado podem tem vidas agradáveis, com amizades, convívio familiar e contribuir para vida em comunidade.

PORTANTO, A IDENTIFICAÇÃO E TRATAMENTO PRECOCE É FUNDAMENTAL!

CONSULTE UM MÉDICO FONIATRA!

Referências bibliográficas:

Dra. Mônica Elisabeth Simons Guerra

Dra. Vanessa Magosso Franchi