Deglutição e Disfagia

A deglutição é essencial para a vida e é um dos maiores prazeres dos seres humanos. Definida como ato de levar o alimento da cavidade oral para o estomago e depende da atividade de diversos nervos e músculos voluntários e involuntários. Qualquer tipo de alteração na deglutição é definido como disfagia.

Durante a deglutição ocorre a proteção das vias aéreas, para que o alimento seja direcionado corretamente para o estomago. Se caso este mecanismo não esteja funcionando corretamente o alimento pode refluir para o nariz ou ser aspirado, o que pode levar a engasgos, bronquites e até pneumonia aspirativa.

A deglutição é dividida em 3 fases:

  • Fase preparatória e oral – É uma fase consciente e voluntária. O alimento é preparado, ou seja, ocorre a mastigação e a liberação da secreção salivar. O bolo alimentar é posicionado pela língua para região posterior da boca e por pressão o transfere para a faringe. Nesta fase o cérebro recebe informações importantes sobre o volume, a consistência, a densidade e o grau de umidificação do bolo alimentar. Estas informações são importantes para o determinar o tempo e a atividade das estruturas envolvidas nas próximas etapas da deglutição. Na fase oral pode ocorrer prejuízo na preparação do alimento como alteração na mastigação e diminuição da liberação da saliva. Também pode ocorrer dificuldade em ejetar o bolo alimentar pela língua para a parte posterior da boca no sentido da faringe e assim ocorrem os escapes precoce e tardio do alimento.

 

  • Fase faríngea – É uma fase consciente, involuntária e rápida. Nesta fase ocorre contração da laringe levando o bolo alimentar para o esôfago através de uma onda peristáltica. E também ocorre a transformação na faringe de uma via respiratória para uma via digestiva. As vias aéreas ficam protegidas através do fechamento da velofaringe e elevação da laringe, desta forma o alimento não é aspirado para o pulmão. Na fase faríngea pode ocorrer aspiração do alimento para traqueia, brônquios e pulmão, ocasionado engasgos, falta de ar e pneumonia aspirativa.

 

  • Fase esofágica – É uma fase inconsciente e involuntária. Nesta fase a onda peristáltica que se iniciou na faringe continua no esôfago e o bolo alimentar passa através do esfíncter esofágico superior que se abre e caminha em direção ao estomago, passando também pelo esfíncter esofágico inferior. Em seguida os dois esfíncteres se fecham rapidamente para evitar o refluxo deste bolo. Na fase esofágica pode ocorrer refluxo gastro esofágico, com risco de aspiração.

Dra. Mônica Elisabeth Simons Guerra Avaliação da Deglutição

 

Referência bibliográfica: Manual de Prática de Disfagia: diagnóstico e Tratamento. 2017