O que é Foniatra?

Quando fazer uma avaliação foniátrica?

Se o seu filho ainda não fala como acha que deveria, possui uma fala difícil de ser compreendida por outras pessoas, parece que não o escuta pois não atende seus chamados ou simples solicitações, não conseguiu ler ou escrever na idade certa mesmo com o apoio escolar suficiente, ou ainda apresenta muita dificuldade de aprendizagem escolar o que o torna muito aquém de seus colegas de turma apesar de seu esforço pessoal e do empenho de seus professores. É hora de solicitar ao otorrino uma avaliação foniátrica.

O médico otorrinolaringologista com formação em foniatria é o especialista que trata pacientes com problemas de linguagem e aprendizagem.

Os problemas de linguagem e aprendizagem podem ser primários, como o distúrbio especifico da linguagem (DEL), dislexia, discalculia e atraso do desenvolvimento da linguagem; ou secundários a outros comprometimentos como Transtorno do Espectro Autista (TEA), deficiência auditiva, malformações craniofaciais/fissuras labiopalatinas, problemas respiratórios, síndromes genéticas, doenças psiquiátricas, doenças ou traumas neurológicos.

A avaliação foniátrica é complexa e composta por anamnese semi-dirigida, exame físico otorrinolaringológico e foniátrico, exames de equilíbrio e coordenação apendicular. Inicia-se por uma anamnese ampla e estruturada, na qual o médico faz questionamentos minuciosos, sobre os antecedentes gestacionais e de nascimento, antecedentes pessoais e familiares, dados do comportamento e desenvolvimento da criança em diversos contextos. O médico escutará as queixas e os relatos dos pais e familiares sobre as percepções da fala e linguagem da criança, assim como outros aspetos de comportamento julgados pertinentes no momento da anamnese.

O exame foniátrico é realizado estabelecendo-se uma relação de interação entre o médico e a criança avaliada.

Em crianças menores, através de diversas brincadeiras, o médico avalia alguns aspectos relevantes da linguagem e comportamento assim como aspectos de neurodesenvolvimento e cognição. Já em crianças maiores é possível aplicar provas especificas que permitem a avaliação das habilidades necessárias ao desenvolvimento da linguagem e aprendizagem.

A avaliação foniátrica, permite ao médico otorrinolaringologista com formação em foniatria, verificar a necessidade de exames complementares importantes para o diagnóstico diferencial; indicar a melhor terapia e orientar a família. Este profissional também faz interface com outras áreas de atendimento como fonoaudiólogo, psicopedagogo, psicólogo, terapêutico ocupacional, musico terapêutico, professor, coordenador escolar e outros, quando necessário.

Dra. Mônica Elisabeth Simons Guerra e Dra. Vanessa Magosso Franchi (médicas responsáveis pela avaliação foniátrica)